STF condena escola que demitiu funcionária por intolerância religiosa a pagar indenização

Uma funcionária que foi demitida de uma escola particular católica após ser acusada de ser adepta de religiões de matriz africana deve receber uma indenização de R$ 15 mil. A decisão do Supremo Tribunal Federal ainda cabe recurso por parte do Colégio Notre Dame, de Brasília.

De acordo com a ação, funcionários teriam dito que ela era "macumbeira e mãe de santo" e informado que “se as pessoas tivessem problema era só procurar” por ela. A diretora do colégio teria então questionado a coordenadora se a história era verdadeira e dito que a demitiria se o relato se confirmasse.

A mulher afirma que negou, mas que mesmo assim foi dispensada. “Considerando que o Colégio Notre Dame é uma instituição confessional [religiosa], não estaríamos errados. Essa situação é protegida pelo Tratado Brasil Santa-Fé [da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil]”, afirmou a advogada da Notre Dame, Vera Maria Barbosa da Costa.

A instituição já havia perdido a causa na 16ª Vara do Trabalho de Brasília e recorrido.

FONTE: Portal G1 em 04/09/2014

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.